“A Morte Habita à Noite”, de Eduardo Mororó, abriu a Competitiva de Longa

Atualizado: 9 de Dez de 2020


Wolney Oliveira e Eduardo Mororó

Na noite de sábado, 5 de dezembro, teve início a Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem do 30º Cine Ceará, com a exibição do primeiro dos sete filmes concorrentes, o brasileiro “A Morte Habita à Noite”, de Eduardo Mororó, na tela do Cineteatro São Luiz e na plataforma do Canal Brasil. O diretor acompanhou na plateia a première brasileira do filme, com os atores Roney Villela e Endi Vasconcelos. Apesar de estar presente, foi seguido o protocolo de isolamento e a fala do diretor foi exibida em vídeo enviado antecipadamente ao festival.


Wolney Oliveira e Endi Vasconcelos

“Estou muito feliz de estar aqui exibindo a estreia nacional do filme. Ele é o meu primeiro longa-metragem. É inspirado no universo literário do Bukowski e retrata a vida de um escritor decadente, que ressignifica o amor e a morte a partir de um encontro com uma jovem cheia de vida, que está em busca de uma figura paterna. O foco maior do filme está no reconhecimento entre personagens mais marginalizados”, adiantou. “Eu gostaria de agradecer ao elenco que está aqui presente, o Roney Villela, que é um grande ator e grande amigo, e a Endi Vasconcelos, também atriz. Essa é a estreia dela no cinema. Ela fez a personagem com muita garra e muita dedicação. Queria mandar um salve a Leonardo Luiz Mecchi, o nosso produtor. E estender o agradecimento a toda a equipe que fez o filme, lá de Recife. E parabenizar os 30 anos do Cine Ceará. Agradecer pela oportunidade, ficamos muito felizes de poder estar aqui. Uma boa sessão a todos!”, finalizou.


Wolney Oliveira e Roney Villela