Cine Ceará presta homenagem a Tito Ameijeiras



O primeiro dia da 28ª edição do Cine Ceará começou com a triste notícia da perda de Tito Ameijeiras, cineasta, ator, produtor e professor, que teve sua vida dedicada ao cinema. Argentino, com mais de 50 anos dedicados à sétima arte, era um dos grandes parceiros do festival, onde atuava nos últimos anos na mediação dos debates da Mostra Competitiva de Longa-metragem e na coordenação do júri, funções que exerceria ainda nesta edição. A ele, o festival prestou homenagem na solenidade de abertura, ocasião em que exibiu trecho de vídeo documentário realizado por Danilo Mattos. Bárbara Cariry leu o seguinte texto, escrito por seu pai, o cineasta Rosemberg Cariry, grande amigo de Tito.

"

Na vida, há os que se conformam e os que sonham, há os que se entregam e os que lutam.

Hoje, nessa noite, na abertura do 28. Cine Ceará, queremos falar de um homem que fez da sua vida uma comovente história de luta, de sonho, de otimismo, de poesia e da magia do cinema. Estamos falando de Tito Amejeiras, um guerreiro argentino, descendentes de índios Caingangue, que nos deixou nessa madrugada.

Estamos tristes, profundamente tristes e à nossa tristeza soma-se a tristeza de amigos de toda a América Latina. Tito foi combatentes em lutas políticas libertárias em muitos países, mantendo viva a esperança de uma sociedade mais justa e igualitária. Ator, produtor e cineasta, trabalhou com os mais importantes nomes do cinema latino-americano e militou em muitas organizações audiovisuais, lançando pontes solidárias e espalhando sonhos.

Sendo um cidadão do mundo, fez-se cearense por opção e aqui viveu seus últimos dias, sempre intensos, cheios de significados e de sonhos. De tal forma era a sua crença no futuro e o seu otimismo na conquista de melhores dias que, mesmo nesse tempo obscuro, ele enxergava na luz, que nasce da luta e da insubmissão, o brilho da consciência transformadora do povo brasileiro e latino-americano.

Camarada Tito Ameijeiras, presente.

"