Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem

A viagem extraordinária de Celeste García

El viaje extraordinario de Celeste García

Diretor(es)

Arturo Infante

Gênero. Duração

Ficção. 92 min.

Local. Ano

Cuba-Alemanha. 2018.

Classificação indicativa:

Livre

Inédito no Brasil

play.png

Sinopse

Celeste García, uma ex-professora e guia do Planetário de Havana, procura, aos 60 anos, uma mudança em sua vida. Quando um grupo de alienígenas aterrissa em Cuba oferecendo aos terrestres a oportunidade de visitar seu planeta, Celeste se inscreve para a viagem na esperança de uma vida melhor e mais gratificante.

Ficha Técnica

DIREÇÃO e ROTEIRO: Arturo Infante EMPRESAS PRODUTORAS: Producciones de la 5ta Avenida, Fassb Film Produktion Gmbh & Co. KG PRODUTORES: Cláudia Calviño e Ernst Fassbender COPRODUÇÃO: Match Factory Productions COPRODUTORES: Viola Fügen e Michael Weber FOTOGRAFIA: Javier Labrador DIREÇÃO DE ARTE: Alain Ortiz MONTAGEM: Joanna Montero DESENHO DE SOM: Daniel “Gato” Garcés Najar MÚSICA: Magda Rosa Galbán e Juan Antonio Leyva ELENCO: María Isabel Díaz, Omar Franco, Néstor Jiménez, Yerlin Pérez, Tamara Castellanos, Verónica Díaz Viera, Andrea Doimeadiós.

Sobre o(s) Diretor(es)

Arturo Infante Um dos roteiristas mais destacados de Cuba, formado em Artes Cênicas pela Universidade de Artes de Havana, estudou roteiro na Escola de Cinema e Televisão de San Antonio de los Baños em Cuba e completou seus estudos no Conservatório Europeu de Escrita Audiovisual em Paris. El extraordinario viaje de Celeste García é sua estreia na direção em longa-metragem.

Filmografia

Longas-metragens (roteiro): Habana Eva (2010), La edad de la peseta (2006); (direção e roteiro) El viaje extraordinario de Celeste García (2018). Curtas-metragens: Gozar, comer y partir (2007), Flash forward (2006), El intruso (2005), Utopía (2004).

Festivais

Seattle International Film Festival – Grande Prêmio do Júri no concurso de Novos Diretores (2018); TIFF, Festival Internacional de Cine de Toronto (2018); IFF – Festival Internacional de Cinema de Panamá (2019); FIC Gibara – Melhor Longa-Metragem de Ficção e Melhor Atriz para María Isabel Díaz (2019).

Canção sem nome

Canción sin nombre

Diretor(es)

Melina León

Gênero. Duração

Ficção. 97 min.

Local. Ano

Peru-Espanha-Estados Unidos. 2019.

Classificação indicativa:

14 anos

Inédito no Brasil

play.png

Sinopse

Peru, no auge da crise política dos anos 1980. Georgina é uma jovem dos Andes, cuja filha recém-nascida é roubada em uma falsa clínica de saúde. Sua busca desesperada pela criança a leva até a sede de um grande jornal, onde conhece Pedro Campos, um jornalista solitário que assume a investigação do seu caso. Baseado em história real.

Ficha Técnica

DIREÇÃO: Melina León ROTEIRO: Melina León e Michael J. White PRODUÇÃO: La Vida Misma Films PRODUTORES: Inti Briones, Melina León, Michael J. White COPRODUÇÃO: MGC, La Mula Producciones, Bord Cadre Films PRODUTOR ASSOCIADO: Torch Films FOTOGRAFIA: Inti Briones MONTAGEM: Melina León, Manuel Bauer, Antolín Prieto MÚSICA: Pauchi Sasaki DESENHO DE SOM: Pablo Rivas VENDAS INTERNACIONAIS: Luxbox ELENCO: Pamela Mendoza, Tommy Párraga, Lucio Rojas, Maykol Hernández, Lidia Quispe.

Sobre o(s) Diretor(es)

Melina León Diretora peruana que mora entre Lima e Nova York. Estudou cinema e vídeo na Universidade de Lima e direção de cinema na Columbia University. Seu curta-metragem El paraíso de Lili estreou no New York Film Festival e foi selecionado em mais de 20 festivais internacionais, ganhando 11 prêmios. Canção sem nome é o seu primeiro trabalho de longa-metragem.

Filmografia

Longa-metragem: Canción sin nombre (2019). Curta-metragem: El paraíso de Lili (2009); Menina com um walkman (2007).

Festivais

Filmfest München - Prêmio Cine Vision, 2019; Quinzena dos Realizadores em Cannes - Première mundial, 2019; Festival de Cine de Nueva Zelanda, 2019; Sidney Film Festival - Seleção oficial, 2019; Festival Cine De Lima - Concurso Cine del Mañana"

Greta

Diretor(es)

Armando Praça

Gênero. Duração

Ficção. 96 min.

Local. Ano

Brasil, 2019.

Classificação indicativa:

18 anos

Inédito no Brasil

play.png

Sinopse

Pedro precisa liberar uma vaga no hospital em que trabalha para sua amiga Daniela. Para salvá-la, ele ajuda um jovem criminoso que está algemado a um leito a escapar e o leva para casa. Essa relação ajuda Pedro a sobreviver à perda de Daniela, mas também provoca mudanças surpreendentes nele e em sua forma de lidar com a solidão.

Ficha Técnica

DIREÇÃO e ROTEIRO: Armando Praça EMPRESA PRODUTORA: Segredo Filmes e Carnaval Filmes PRODUÇÃO: João Vieira Jr., Nara Aragão, Armando Praça e Maurício Macêdo DISTRIBUIDORA: Pandora Filmes FOTOGRAFIA: Ivo Lopes Araújo DIREÇÃO DE ARTE: Diogo Costa MONTAGEM: Karen Harley SOM DIRETO: Moabe Filho e Pedrinho Moreira FINALIZAÇÃO DE SOM: Nicolau Domingues ELENCO: Marco Nanini, Demick Lopes, Denise Weinberg e Gretta Sttar.

Sobre o(s) Diretor(es)

Armando Praça Cineasta e sociólogo brasileiro, nasceu em Aracati (CE) e trabalhou como assistente de direção, roteirista e preparador de elenco com importantes realizadores do país, como Marcelo Gomes, Karim Ainouz, Márcia Faria, Sérgio Rezende, Halder Gomes e Rosemberg Cariry. Entre os curtas e médias que realizou destacam-se: A mulher biônica (exibido no festival de curtas de Clermont Ferrand), O amor do palhaço, Origem: destino e Parque de diversões. Greta é seu primeiro longa, e prepara-se para filmar Fortaleza Hotel. Em paralelo, trabalha no desenvolvimento dos projetos Ne me quitte pas e Cachoeira do descuido.

Filmografia

Longa-metragem: Greta (2019). Média-metragem: Origem: destino (2013). Curtas-metragens: Silêncio (2016), Flores (2016), A invenção do Sertão (2011), A mulher biônica (2008), O amor do palhaço (2006), Parque de diversões (2002).

Festivais

Berlinale – Festival Internacional de Cinema de Berlim (2018), Festival Internacional de Guadalajara (2018), Queergestreft (2018), BFI Flare London (2018), Skopje International Film Festival (2018), Pink Apple Zurich (2018), Taipei Film Festival (2018) e Era New Horizons (2018).

Luciérnagas

Diretor(es)

Bani Khoshnoudi

Gênero. Duração

Ficção. 85 min.

Local. Ano

México-Grécia-República Dominicana. 2018.

Classificação indicativa:

18 anos

Inédito no Brasil

play.png

Sinopse

Depois de escapar da perseguição em seu país, Ramin, um jovem gay iraniano, chega ao México quando o navio mercante que ele tomou na Turquia atraca em Veracruz. Longe de tudo o que seu mundo representava, ele vive no limbo do exílio, onde sua nostalgia e melancolia são confrontadas com novas amizades e amores. Pouco a pouco ele redescobre seus próprios desejos.

Ficha Técnica

DIREÇÃO e ROTEIRO: Bani Khoshnoudi EMPRESAS PRODUTORAS: Zensky Cine, Aurora Dominicana, Fondo para la Producción Cinematográfica de Calidad (Foprocine), Haos Film, Instituto Mexicano de Cinematografía (Imcine), Kinoelektron, Pensée Sauvage PRODUÇÃO: Elsa Reyes FOTOGRAFIA: Benjamín Echazarreta DIREÇÃO DE ARTE: Florent Vitse MONTAGEM: Miguel Schverdfinger, Gil González Penilla SOM: Félix Blume e Javier Umpierrez MÚSICA: Sohrab Karimi FINALIZAÇÃO DE SOM: Félix Blume ELENCO: Arash Marandi, Edwarda Gurrola, Luis Alberti, Eligio Meléndez.

Sobre o(s) Diretor(es)

Bani Khoshnoudi Nascida em Teerã, Irã, estudou fotografia e cinema em Texas, nos Estados Unidos. É diretora de cinema e vídeo e artista visual. Tem realizado documentários e filmes de ficção, explorando temas relacionados a revoluções, modernidade e memória coletiva, e seu impacto nas migrações e exílio. Participou do Independent Study Program do Whitney Museum of American Art, e sua obra artística tem sido exposta internacionalmente em galerias e espaços alternativos. Vive na Cidade do México desde 2009.

Filmografia

Longa-metragem: A people in the shadows (2008), The silent majority speaks (2014), Ziba (2012). Curta-metragem: Transit (2005).

Festivais

Festival Internacional de Cine de Morelia, IFFR (International Film Festival Rotterdam), Lovers Torino LGBTRQI Visions, Goteborg Film Festival, Miami IFF, D’A FF Barcelona, Pink Apple FF, Gay Film Festival Fribourg, Diaspora FF, Mostra de Cine Latinoamericano de Catalunya, Filmfest München, Burgas International Film Festival, Cinema Al Fouad, MIX Copenhagen.

Notícias do fim do mundo

Diretor(es)

Rosemberg Cariry

Gênero. Duração

Ficção. 70 min.

Local. Ano

Brasil. 2019.

Classificação indicativa:

14 anos

Inédito no Brasil

play.png

Sinopse

Alexandre Taylor, ator dramático aposentado, trabalha em uma ONG que organiza um grupo de Reisado (folguedo popular), na periferia de Kibuna. Seu grupo é convidado pelo governador de Jenipapoaçu para fazer uma apresentação no Palácio do Governo. Ele enxerga no convite o último e grandioso ato teatral da sua vida: o sequestro do embaixador de Golem e a exigência de ler uma carta dirigida aos poderosos do mundo. Nessa aventura transbarroca e pós-moderna, o real se torna simulacro, em um tsunami de lixo de imagens e sons virtuais, onde só dor e o desespero são reais.

Ficha Técnica

DIREÇÃO e ROTEIRO: Rosemberg Cariry EMPRESA PRODUTORA: Cariri Produções Artísticas Ltda FOTOGRAFIA: Petrus Cariry DIREÇÃO DE ARTE: Sérgio Silveira MONTAGEM: Rosemberg Cariry TRILHA SONORA: João Victor Barroso SOM DIRETO: Yures Viana FINALIZAÇÃO DE SOM: Érico Paiva (Sapão) ELENCO: Everaldo Pontes, Majô de Castro, Graça Freitas, Carlos César, João Paulo Soares, João Antônio, Joca Andrade, Maria Fernanda, Paulo Ess, Teta Maia, Samuel Jackson.

Sobre o(s) Diretor(es)

Rosemberg Cariry Escritor e cineasta, com 12 filmes de longa-metragem e vários curtas e seriados e programas para TV. Teve mostras retrospectivas nacionais e internacionais da sua obra. Tem vários livros de ensaios, contos e poemas publicados. Filósofo de formação e doutorando em Belas-Artes na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, Portugal.

Filmografia

Longas-metragens: Notícias do fim do mundo (2019), Os pobres diabos (2013), Cego Aderaldo – o cantador e o mito (2012), Siri (2008), Patativa do Assaré, Ave poesia (2007), Cine Tapuia (2006); Lua Cambará – nas escadarias do palácio (2002), Juazeiro – a Nova Jerusalém (1999), Corisco e Dadá (1996), A saga do Guerreiro Alumioso (1993), O caldeirão da Santa Cruz do deserto (1986).

Festivais

Ressaca

Diretor(es)

Vincent Rimbaux

Patrizia Landi

Gênero. Duração

Documentário. 86 min.

Local. Ano

Brasil. 2018.

Classificação indicativa:

12 anos

Inédito no Brasil

play.png

Sinopse

O filme acompanha o corpo artístico do Theatro Municipal RJ quando os salários são suspensos. O documentário registra a espera, marcada pelos dias que se alongam sem boas notícias, e a resistência porque, a despeito da ruína e da miséria, é preciso produzir e sobreviver.

Ficha Técnica

DIREÇÃO e ROTEIRO: Vincent Rimbaux e Patrizia Landi EMPRESA PRODUTORA: Cafeína Produções e Babel Doc PRODUÇÃO: Sthéphanie Lebrun e Ph Souza PRODUÇÃO EXECUTIVA: Raquel Leiko e PH Souza FOTOGRAFIA: Vincent Rimbaux MONTAGEM: Vincent Rimbaux e Antoine Imbert TRILHA SONORA: Malvina Meinier.

Sobre o(s) Diretor(es)

Patrizia Landi e Vincent Rimbaux Realizadores de documentários. Seus filmes participaram em diversos festivais no mundo todo.

Filmografia

Patrizia Landi: Longa-metragem: Hijas del monte (2011). Curta-metragem: Guerreiros da Amazônia (2017). Vincent Rimbaux: Curta-metragem: Olhar bom de bola (2014).

Festivais

FIPA DOC Biarritz Festival International Documentaire (2019), Full Frame Documentary Film Festival (2019), N DOK Fest München (2019).

Vozes da Floresta

Diretor(es)

Betse de Paula

Gênero. Duração

Documentário. 95 min.

Local. Ano

Brasil, 2019.

Classificação indicativa:

12 anos

Inédito no Brasil

play.png

Sinopse

Documentário sobre lideranças femininas que estão à frente na luta pela preservação do meio ambiente e dos direitos das mulheres. Quilombolas, indígenas, ribeirinhas, quebradeiras de coco, extrativistas, que lutam pela manutenção dos seus modos de vida tradicionais, pela vida da floresta e de todo o planeta.

Ficha Técnica

DIREÇÃO: Betse de Paula ROTEIRO: Clara Melo EMPRESA PRODUTORA: Aurora Cinematográfica PRODUÇÃO: Mario Caillaux DISTRIBUIDORA: Aurora Cinematográfica FOTOGRAFIA: Musthapa Barat, Nicolau Saldanha, Lula Araújo e Michele Diniz MONTAGEM: Tyrell Spencer TRILHA SONORA: Encantadeiras SOM DIRETO: Laura Zimerman, Daniela Pedrosa e Isabela Selaiman FINALIZAÇÃO DE SOM: Meios e Mídia ELENCO: Joênia Wapishana, Telma Marques Taurepang, Sônia Bone Guajajara, Maria Santana, Maria de Jesus Ferreira Bringelo, Maria Nice Machado Aires, Rosenilde Gregória dos Santos Costa, Marilene Rodrigues Rocha, Odila Duarte Godinho, Ivete Bastos, Antonia Melo, Dorninete Serejo Morais.

Sobre o(s) Diretor(es)

Betse de Paula Cineasta, produtora e roteirista premiada, é fundadora da Aprocine e foi dirigente da Abraci e da ABD. Lecionou roteiro, direção e práticas cinematográficas no curso de Cinema da Universidade Estácio de Sá de 2007 a 2010. Foi assistente de direção, produção e montagem em longas-metragens, entre eles O homem da capa preta, de Sérgio Rezende.

Filmografia

Longas-metragens: Encantadeiras (2019), Vozes da floresta (2019), Desarquivando Alice Gonzaga (2017), Dissecando Antonieta (2016), Revelando Sebastião Salgado (2014), Vendo ou alugo (2013), Celeste & Estrela (2005), O casamento de Louise (2001).

Festivais

Patrocínio

Agradecimento

Parceria

ctavoutra-possivel-assinatura---SIGNIKA.

Apoio Institucional

IDM.png
Captura_de_Tela_2019-08-18_às_17.44_edit
Captura_de_Tela_2019-08-18_às_17.44_edit
Captura_de_Tela_2019-08-18_às_17.44_edit

Realização

A Associação Cultural Cine Ceará comemora o cinema brasileiro e Iberoamericano, para reconhecer e apoiar novos cineastas, e para aumentar a consciência, acessibilidade e compreensão da arte entre um público amplo e diversificado.

endereço

Rua Barão do Rio Branco, 1071, sala 1205/1206 - Centro,

Fortaleza - CE - CEP: 60.025-060

Contato

contatos@cineceara.com

 
Assessoria de Imprensa Local
DÉgagÉ

www.degage.com.br

degagecomunica@gmail.com

Assessoria de Imprensa Nacional

Primeiro Plano

www.primeiroplanocom.com.br

julia@primeiroplanocom.com.br

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • Flickr Social Icon
receba nossa newsletter