Homenagem a Marco Nanini

Posted by on Mai 3, 2012 in Blog

MARCO NANINI

Marco Nanini é ator, humorista e diretor. É considerado um dos maiores atores de sua geração e um dos maiores nomes do cenário artístico brasileiro. Em seus mais de 40 anos de carreira multifacetada, fez muito sucesso tanto na televisão, quanto no teatro e no cinema.

Foi com o grupo de teatro Mambembe que Nanini deu seus primeiros passos nas artes cênicas. Ao longo de sua carreira teatral atuou em muitas peças, entre elas: “Deus lhe pague” (1976), “Os filhos de Kennedy” (1977), “Doce deleite” (1980/85) e “O mistério de Irma Vap” (1986/97), que lhe valeu um sucesso de público que prolongou a temporada do espetáculo em dez anos, além de outros sucessos como “O burguês ridículo” (1996), “Uma noite na Lua” (1998/2000) e “Os solitários” (2002).

Entre seus trabalhos no cinema, destacam-se: “As moças daquela hora” (1973), “Anjos da noite” (1987), “Carlota Joaquina, princesa do Brazil” (1995), “Amor e Cia” (1998), “Copacabana” (2001), “Caramuru, a invenção do Brasil” (2001), “Lisbela e o prisioneiro” (2003), “Apolônio Brasil, campeão da alegria” (2003), “Irma Vap – o retorno” (2006) e “O bem-amado” (2010), uma das obras mais ricas e divertidas da dramaturgia nacional, que já realizara no teatro.

Embora nunca tenha deixado de atuar no palco, Marco Nanini trabalhou desde 1969 até hoje para a televisão, em novelas e minisséries de grande sucesso:” O cafona” (1971), “Gabriela” (1975), “As três Marias” (1980), “Elas por elas” (1982), “Dona Flor e seus dois maridos” (1998) e “O auto da compadecida” (1999). Um dos seus papéis mais marcantes na televisão é o personagem de Lineu, na série “A Grande Família”, no ar desde 2001.

Tem recebido vários prêmios e reconhecimentos ao seu trabalho, entre os quais: o Prêmio Governador do Estado de São Paulo pelas atuações em “Os filhos de Kennedy” (1977), o Prêmio Sharp por “O burguês ridículo” (1996), o Prêmio Qualidade Brasil por “A morte de um caixeiro viajante” (2003), o Prêmio Melhor Ator no Festival de Cinema de Miami por “Amor e Cia” (1998) e “Copacabana” (2002), o Prêmio Qualidade Brasil Melhor Ator por “Lisbela e o prisioneiro” (2003) e os Prêmios APCA e Qualidade Brasil de Melhor Ator em 2001/02 pelo seriado “A Grande Família”.

 

Presente no Festival:

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>